16 de dez de 2009

O Linux e os Vírus


As pessoas ficam se perguntando porque o linux não pega vírus, o motivo é esse…

Devido a separação de privilégios entre processos e respeitadas as recomendações padrão de política de segurança e uso de contas privilegiadas, programas como vírus tornamse inúteis pois tem sua ação limitada pelas restrições de acesso do sistema de arquivos e execução. Qualquer programa (nocivo ou não) poderá alterar partes do sistema que possui permissões. Frequentemente são criados exploits que tentam se aproveitar
de falhas existentes em sistemas desatualizados e usa-las para danificar o sistema. Erroneamente este tipo de ataque é classificado como vírus por pessoas mal informadas e são resolvidas com sistemas bem mantidos. Em geral, usando uma boa distribuição que tenha um bom sistema de atualização, 99.9% dos problemas com exploits são resolvidos.



ExploitÉ qualquer programa, comando ou seqüência de dados que se aproveite da vulnerabilidade de um sistema para invadi-lo. Aproveitando-se de uma brecha na segurança, ele entra em seu computador interpretado como dados inofensivos. Então estes dados provocam a instabilidade do sistema para diminuir temporariamente sua segurança.



Por: Francisco Darlildo

Referência: Guia Foca GNU/Linux

11 de nov de 2009

Urban Terror

Urban Terror

Urban Terror é um jogo FPS (First Person Shooter) desenvolvido pela FrozenSand. Com uma jogabilidade bastante realista e gráficos de tirar o fôlego, Urban Terror não deixa nada a desejar em comparação a qualquer
jogo em primeira pessoa.







Donwload And Play
Sem instalação, basta executar ;-)


O site oficial do jogo é http://www.urbanterror.net/. Nele é possível fazer o download em:
ou em ftp:
Após o download é só jogar executando o arquivo ioUrbanTerror.i386 num terminal:

$ ./ioUrbanTerror.i386

Mas antes da diversão vamos deixar o jogo acessível com facilidade. :)

Instalação
Fácil, Fácil

Eu recomendo a instalação de aplicações em geral em diretórios do sistema e não em seu diretório home. Então para a instalação proceda da seguinte maneira.
Primeiro extraia o arquivo baixado:

$ unzip UrbanTerror_41_FULL.zip

Depois de descompactar mova o diretório para /usr/local/games como root

$ sudo su
# mv UrbanTerror /usr/local/games


Em seguida entre no diretório /usr/local/bin

# cd /usr/local/bin

Crie um arquivo chamado urbanterror, use vim ou nano (você quem decide :-):

# vim urbanterror

ou,

# nano urbanterror

Copie o seguinte conteúdo, se você tem um processador i386:

#!/bin/sh
cd /usr/local/games/UrbanTerror/ && ./ioUrbanTerror.i386 "$@"

Ou se seu processador for x86_64

#!/bin/sh
cd /usr/local/games/UrbanTerror/ && ./ioUrbanTerror.x86_64 "$@"

Salve e feche o arquivo.
Dê permissão de execução ao arquivo. Faça:

# chmod +x urbanterror

Instalação concluída.

Definindo um Item no Menu Aplicações
Para acesso rápido.

Para o jogo ficar mais acessível é necessário criar um Item em seu Menu Aplicações. Primeiro vá no Menu Sistema → Preferências → Menu Principal. Para facilitar clique em Jogos e logo após clique no botão Novo Item.
Em seguida aparecerá a janela Criar Lançador, a qual pede alguns dados. O primeiro, Tipo, refere-se ao tipo do lançador, nesse caso Aplicação. Em seguida vem o Nome, digite Urban Terror. Logo abaixo vem o Comando, clique em Navegar e procure o arquivo que criamos. Ele está em /usr/local/bin, clique no arquivo urbanterror e depois Ok. Você pode também por um ícone para o jogo. Clique no botão com a imagem do lançador, e busque a imagem (Se você ainda não tem a imagem baixe-a da net ;-). Clique em Ok e pronto.

ou ainda, acesse a dica: Adicionar item no menu do Ubuntu visível a todos os usuários

Dicas do Jogo - Jogando Off-line
com os bots :-)

Antes de mais nada inicie o jogo para que ele crie o diretório com as configurações no seu home. Faça um pequeno teste com o jogo, configure seu nickname, defina a resolução, etc.
Saia do jogo e abra um terminal e faça:

$ cd .q3a/q3ut4/

Edite o arquivo q3config.cfg. Faça:

$ vim q3config.cfg

ou

$ nano q3config.cfg

Mude a linha

bind ` "toggleconsole"

Para

bind ' "toggleconsole"

Salve o arquivo e feche-o.
Isto serve para abrir o console do jogo, no qual algumas opções serão habilitadas em tempo de execução.

O próximo passo é criar dois arquivos de configuração para jogar em modo off-line (com os bots).
Ainda no terminal crie o arquivo init.cfg dentro do diretório ~/.q3a/q3ut4/. Faça:

$ cd ~/.q3a/q3ut4/
$ vim init.cfg

ou

$ nano init.cfg

Nesse arquivo você irá habilitar os bots e reiniciar o jogo. Para isso digite no arquivo:

bot_enable 1
reload

Salve e feche o arquivo.
Agora vamos criar os bots. Eles não foram totalmente implementados em todas as fases, de modo que eu recomendo que você jogue apenas nas seguintes fases:
  • Abbey
  • Abbey CTF
  • Algiers
  • Austria
  • Dressing room
  • Firing Range
  • Riyadh
  • Uptown
A sintaxe para adicionar os bots é simples. Basta fazer:

addbot <tipo> <nível> <time> <ping> <nick_do_bot>

Onde o tipo do bot caracteriza as armas que ele irá carregar. Os tipos a serem escolhidos são os listados abaixo:
  • boa
  • cheetah
  • chicken
  • cobra
  • cockroach
  • cougar
  • goose
  • mantis
  • penguin
  • puma
  • python
  • raven
  • scarab
  • scorpion
  • tiger
  • widow
O nível pode ser os valores de 1 a 5, em que o 1 é o nível mais fácil e o 5 mais difícil.
O time pode ser red ou blue, isso quando estivermos jogando TeamDeathmatch, ou Capture The Flag, ou outro modo que tenha times. Caso contrário esse valor é ignorado.
O ping pode ser qualquer valor. Como estamos falando de apenas de uma máquina, esse valor é indiferente.
E o nick do bot é o nome que você quiser dar ao seus bots. Seja criativo. :-)

Para ser mais rápida a inserção de bots criaremos o arquivo addbots.cfg em ~/.q3a/q3ut4/. Faça:

$ cd ~/.q3a/q3ut4/
$ vim addbots.cfg

ou

$ nano addbots.cfg

Adicione as linhas de acordo com seu gosto, por exemplo:

addbot scorpion 5 blue 64 Debian
addbot penguin 4 red 64 Tux
addbot raven 5 red 64 Ubuntu
addbot python 4 blue 64 SuSE
addbot tiger 4 red 64 Mandriva

Salve e feche o arquivo.

Inicie o jogo e crie um novo jogo. Escolha uma das fases citadas acima.
Quando o jogo começar abra o console usando '(aspas simples). Digite:

/exec init.cfg

O jogo será automaticamente reiniciado. Abra novamente o console e digite:

/exec addbots.cfg

Pronto. Os bots já podem ser vistos na fase. Divirta-se. XD \o/

Screenshots
Veja o que você está perdendo :-)








Links Relacionados: Criando um Servidor para Urban Terror | Urban Terror - Bots

6 de nov de 2009

Imagination


Imagine que você está em um ambiente GNU/Linux, cercado de tranquilidade, quando de repente; Zás! Um amigo seu lhe pede para gravar um Slide Show para uma apresentação de fotos. :( Lá vai você ter que entrar no Ruindows, digo ... no Windows ;D, e ter que criar qualquer coisa no Movie Maker. ¬¬'

Para aqueles que usam Linux a solução acaba de chegar: Imagination.

Instalação
Passo-a-passo

Os mais apresadinhos que já instalaram o Ubuntu 9.10, e já fizeram aquele upgrade e não gostam de sujar as mãos, tem o privilégio de baixar Imagination pelo apt-get. Faça:

$ sudo su
# apt-get install imagination

Pronto. Já é possível usar Imagination pelo Menu Aplicações → Som & Vídeo → Imagination.
Pena que dessa forma você irá utilizar a versão 1.5, que é bem básica, mas já é totalmente funcional. :-)

Para quem gostar de compilar programas e quer a versão mais nova, com muito mais funcionalidades, vamos a luta.

Você pode visitar a home page do Imagination em:
Baixe o arquivo fonte do Imagination:
Feito isso é necessário instalar os seguintes pacotes de dependência:
  • intltool
  • libgtk2.0-dev
  • libsox-dev
  • ffmpeg
Em um terminal faça:

$ sudo su
# apt-get install intltool libgtk2.0-dev libsox-dev ffmpeg

Vários outros pacotes extras aparecerão para completar a instalação, baixe todos. Após o download abra um terminal. Copie o arquivo tar para o diretório /usr/local. Faça:

# cp imagination-2.1.tar.gz /usr/local/
# tar -xf imagination-2.1.tar.gz

Entre no diretório criado. Faça:

# cd imagination-2.1

De acordo com o arquivo README você deverá editar o arquivo support.c localizado em src. Faça:

# vim /usr/local/imagination-2.1/src/support.c

ou

# nano /usr/local/imagination-2.1/src/support.c

Nesse arquivo edite a seguinte linha:

#define PLUGINS_INSTALLED 0

Para

#define PLUGINS_INSTALLED 1

Isso serve para que o Imagination possa carregar as transições de imagens.

Configure o software para ver se todas as dependências foram instaladas. Faça:

# cd /usr/local/imagination-2.1/
# ./configure

Aparecerá em sua tela todos os programas necessários e se está tudo ok com os mesmos. Ao final uma mensagem de congratulações aparecerá. Algo como:

Imagination configuration:
--------------------------


Install in : /usr/local/bin
GTK version : 2.18.3
SOX version : 14.3.0

É hora do make. Ainda no terminal faça:

# make

Essa parte assusta um pouco, pois aparecerão vários comandos na tela. Mas não se preocupe, é assim mesmo. :)
Agora é hora de realmente instalar o software em seu Ubuntu 9.10. Faça:

# make install

Mais um emaranhado de comandos aparecerão em seu terminal. Espere até o fim e pronto.

Opa! Quase me esqueci. Ainda é preciso criar um Item no Menu Aplicações. É bem fácil.
Vá no Menu Sistema → Preferências → Menu Principal. Escolha em Som & Vídeo e clique em Novo Item. Preencha os campos da seguinte maneira.
  • Tipo: Aplicação
  • Nome: Imagination
  • Comando: clique em Navegar e busque o arquivo executável do Imagination. Está em Sistema de Arquivos → usr → local → bin → imagination. Clique em Abrir.
  • Comentário: fique à vontade para comentar. :-)

Bem, no meu caso ele detectou automaticamente o ícone do Imagination. Caso isso não aconteça, clique no ícone da mola e busque a imagem em: Sistema de Arquivos → usr → local → share → icons → hicolor → 48x48 → apps. Clique em Abrir.
Escolha o ícone e clique em Ok.

ou ainda acesse a dica: Adicionar item no menu do Ubuntu visível a todos os usuários

"Well Done!" - Divirtam-se. :-D


Dicas de Uso
O que se pode fazer com Imagination :-)

Imagination é um software bastante simples, podemos dizer que seja um software WYSIWYG (What You See Is What You Get - O que Você Vê É O que Você Tem). Todos os controles estão à vista e são de fácil entendimento.
Em sua versão 2.1 várias novas funções foram adicionadas, tais como:

· Girar a foto: Para girar a foto em sentido horário vá em Menu Slide → Rotate Clockwise ou [Ctrl + R]. Em sentido anti-horário vá em Menu Slide → Rotate Counter-clockwise ou [Ctrl + U].
· Por legenda na imagem: Após adicionar uma imagem, cheque as funções ao lado da imagem e em Slide Text digite a legenda. Se desejar por um texto clique no botão para expandir o campo de entrada de texto.
· Animar a legenda: Logo após digitar o texto da legenda e escolher fonte e cor, você pode animar a legenda em Animation. Apenas selecione uma das 6 opções.
· Fundo Musical: Você pode adicionar fundo musical a transição de slides. No Menu Slideshow → Import music ou [Ctrl + M] é possível adicionar todos os tipos de arquivos de áudio.
· Adicionar um slide vazio: É bastante útil quando se quer por legenda antes de por imagens, para dar aquele suspense. Vá em Menu Slide → Add empty slide ou [Ctrl + Y].
· Criar vídeo: Você pode criar vídeos a partir de seu projeto em quatro formatos diferentes:
· VOB (DVD Video): formato de vídeo para DVD's
· OGV (Theora/Vorbis): formato nativo Linux de vídeo
· FLV (Flash Video): formato Flash
· 3GP (Mobile Phones): formato para aparelhos celulares.
Para isso vá em Menu Slideshow → Export e escolha seu formato preferido.

Finalizando
Sobre Imagination

Se você gostou do software e é um programador C, visite a página do Imagination no Sourceforge e ajude a melhorá-lo: http://imagination.sourceforge.net/. Esse software tem tudo para ser mais um aplicativo indispensável para nós usuários de Linux.

19 de out de 2009

LCD vs Plasma → 2º Parte


Ai vai a segunda parte dessa postagem bem interessante sobre essas duas tecnologias que tanto nos confunde. Agora suas dúvidas serão esclarecidas. Então vamos lá...

LCD tem um grande benefício que é de você poder usá-las em ambientes bem claros isso facilita para você que gosta de lugares abertos.
Já o Plasma pra home theater é perfeito, essas duas tecnologias se encacham muito bem, TV's de Plamas tem uma vida útil estimada em 100 mil horas ou seja 33 anos se ficarem ligadas oito horas por dia, outra característica do Plasma pelo fato de emiterem menos luz as cores se tornam bem mais vivas. Plasma tem um nivél de preto muito bom ou seja você conseguem ver detalhes em cenas de filmes por exemplo, que você não ver em nenhuma outra tecnologia. Outra característica do Plasma é a correção de cores que você tem a gama de cores absolutamente perfeita. Algums testes realizados por instituto de certificação de produtos apontavam que as TV's de LCD levam vantagem quando o assunto é consumo de energia. Isso pode verdade nos monitores mais antigos mas o que podemos constastar nas TV's mais modernas é que isso já é passado hoje Plasma e LCD consumem praticamente o mesmo, por outro lado o LCD tem a desvantagem de não ser uma tecnologia apropriada pra grande monitores, as linhas mais modernas já provam o contrário é possivel encontrar TV de LCD tão grande quanto as de Plasma por aí.
Tem outro assunto que é sempre comentado quando falamos se LCD e PLasma, o efeito Burn-in ou seja aquelas manchas deixadas na tela por imagens estáticas isso também parece ser cada vez mais coisa do passado pelo menos se depender da promessa dos fabricantes para os novos modelos que já estão à venda em todo o Brasil.
As TV's LCD apresentavam um problema que incomodava e muito aquelas pessoas que gostam de assistir programas com imagens bem dinâmicas, uma corrida de Fórmula 1 por exemplo nos primeiros modelos era possível perceber uma espécie de fantasma em movimentos mais ágeis, hoje isso já não existe. Antigamente os modelos eram produzidos na frequência de 50 ou 60 Hertz, hoje esse numero chega a 120 Hertz. O que você deve ter percebido é que o Plasma e o LCD não param de evoluir. Mas qual a melhor ?
Os especialistas são unânimes quando você tem um ambiente controlado com luz ajustada pra assistir a TV o Plasma tem desempenho superior o problema é que quase ninguém tem um ambiente assim tão perfeito em casa ai o LCD acabe levando uma certa vantagem justamente por emitir mais luz. Como deu pra notar escolher entre um tecnologia e outra não é tarefa tão simples assim.

O Efeito Burn-inO efeito burn-in afeta as televisões com telas de plasma e é causado pelas imagens fixas exibidas no aparelho, que acabam queimando (burn) a tela, e deixando uma marca, caso fiquem muito tempo ligadas.


Por: Francisco Darlildo

16 de out de 2009

Mídias removíveis no Ubuntu 8.04 / 9.04 com o Multiterminal


Com a alteração do sistema de detecção de dispositivos HotPlug (Ubuntu 7.04) para UDEV (Ubuntu 8.04 ou maior), as regras para montagem de dispositivos mudaram.

Quando instalamos o sistema de Multiterminais, o HAL (Camada de Abstração de Hardware) não concedia permissões aos usuários para montar seus dispositivos removíveis. Para mudarmos isso, usamos o aplicativo "Sistema > Administração > Autorizações". Como este aplicativo permite modificações do sistema, ele requer privilégios de administrador.
Então fizemos num terminal:

$ sudo polkit-gnome-authorization


Assim, podemos modificá-lo como queremos.
Alteramos "storage > Mount file systems from removable drives." e alteramos as todas as Autorizações implícitas para "Yes".
O mesmo fizemos em "storage > Eject removable media." e em "storage > Set up decryption for encrypted removable storage devices.".

Para ficar mais completo, recomendamos desativar a montagem automática de mídias removíveis.



Desativando a montagem automática de mídias removíveis

Na verdade, Udev só cria os nós de dispositivo em /dev. HAL (camada de abstração de hardware), que é um serviço do sistema, lê as regras udev e quando encontra um novo dispositivo a HAL tenta descobrir qual o tipo de dispositivo, e se for um dispositivo de armazenamento removível, ele notifica a todos que este deve ser montado. O gnome-volume-manager é responsável por esse processo.

Você pode encontrar o arquivo de configuração do hal em: /etc/hal/fdi/policy/preferences.fdi
Eu acrescentei a configuração que desativa a montagem automática de dispositivos de armazenamento removíveis, e funcionou.
Faça:

$ sudo /etc/init.d/hal restart


O serviço HAL reiniciará e carregará as novas configurações. Assim, conseguimos desativar a montagem de pendrive USB automaticamente (automount disable).



Em anexo, o treçho do arquivo /etc/hal/fdi/policy/preferences.fdi que você modificará.







Equipe Multiterminal do IFCE Campus Maracanaú

15 de out de 2009

LCD vs Plasma → 1º Parte


Fiz essa postagem pesando nas pessoas que querem comprar um TV dessas mais novas e não sabem qual tecnologia melhor se adapta a sua necessidade.
Espero ajudar. Essa postagem vai ser dividida em duas partes para melhor entendimento do leitor. Estarei postando a 2° parte em breve.

Todos so dias surgem novas tecnologias e ficamos com muitas dúvidas para saber qual o melhor produto possuir, normalmente levamos em consideração as funções que ele nos vai oferecer e deixamos de lado a tecnologias usadas nos produtos como celular, home theater, computador entre outros.
Se você está pessando em comprar um dessas novas televisões e tem dúvidas do tipo qual marca mais barata, mais econômica, mais fina, enfim sempre queremos o 'melhor' e nunca pensamos qual o que mais vai suprir nossas necessidades. Então vai ai algumas diferenças entre os televisores LCD e Plasma.
Elas chegaram caras, mas nada melhor do que o tempo pra resolver isso, atualmente seus preços estão bem mais atraentes, cada um com suas características, não necessariamente problemas e nós temos que saber usar essas características como benefícios.
Plasma funciona com milhares de lâmpadas fosforecentes em miniaturas quando carregadas elas emitem gases de luz ultravioleta que em contato com o fósforo gera as imagens. Dessa forma os pixels só são acesos quando necéssario.
Na LCD funciona como uma lâmpada de luz branca e brilhante estivesse acesa o tempo todo por trás da tela e cada pixel permite ou não a passagem da luz.
Na pratica isso significa que o Plasma emite menos luz e com isso produz imagens mais opacas se colocadas em ambientes bem iluminados, já a LCD pelo fato de emitir mais luz levam vantegem nessa situação.

Por: Francisco Darlildo

9 de out de 2009

Open Arena


Open Arena é um jogo de atirador em primeira pessoa habilitado ao modo multiplayer baseado no ioquake3 da id tech 3 engine. Ele inclui uma série de batalhas, tais como deathmatch e uma variedade de personagens. Devido à violência é inapropriado para pessoas menores de 17 anos.

· Instalação
Open Arena é um jogo multiplataforma, ou seja, roda tanto em Linux, ou Windows. Para isso basta fazer o download do jogo em http://www.openarena.ws/ no menu Files. Nele há vários links para baixar o jogo.
Ao término do download já é possível rodar o jogo e se divertir. Mas atenção para um detalhe: qual o arquivo que eu preciso executar? Depende do seu Sistema Operacional.
  1. Linux i386: Se você utiliza Linux e tem um processador Intel 386, basta executar o arquivo openarena.i386.
  2. Linux x86 ou 64: Se você utiliza Linux e tem um processador Intel x86, onde o 'x' representa um número qualquer de 1 a 9, ou um processador Amd64, basta executar o arquivo openarena.x86_64.
  3. No Ruindows, digo no Windows desculpe me ;), basta executar o arquivo openarena.exe.
Fácil, não? Mas e se você quiser criar um Item no Menu Aplicações? Moleza.

· Criando um Item no Menu Aplicações no Ubuntu/Debian

Para deixar seu Open Arena num diretório visível a outros usuários vamos abrir um terminal, entrar no diretório onde o arquivo foi baixado e digite:

$ unzip oa081.zip

Como root mova o diretório criado para /usr/local/games.

$ sudo su
# mv openarena-0.8.1/ /usr/local/games


Agora entre em /usr/local/bin e crie um arquivo chamado openarena.

# cd /usr/local/bin
# vim openarena

Ou utilize o nano, se preferir:


# nano openarena

E digite o seguinte texto, se você usa processador Intel386:

#!/bin/sh
cd /usr/local/games/openarena-0.8.1/ && ./openarena.i386 "$@"


Se você usa Intelx86 ou Amd64, digite:

#!/bin/sh
cd /usr/local/games/openarena-0.8.1/ && ./openarena.x86_64 "$@"

Salve o arquivo. Dê permissão de execução ao arquivo criado. Faça:

# chmod +x /usr/local/bin/openarena

Agora vem a parte gráfica. No Menu Sistema → Preferências → Menu Principal clique em Jogos e clique em Novo Item.





Uma caixa de entrada de dados chamada Criar Lançador aparecerá em sua tela, então basta preencher os dados. O primeiro, Tipo, diz qual o tipo de lançador que você irá criar. Selecione Aplicação. Depois vem o Nome, digite Open Arena. Em Comando clique em Navegar e busque o comando de inicialização do Open Arena, aquele que criamos.
Ele está em /usr/local/bin/openarena. Clique em navegar e busque o arquivo. Também é possível por uma foto clicando no ícone com uma mola na parte superior esquerda e selecionando o local da imagem. Clique em Ok.





ou ainda, acesse a dica: Adicionar item no menu do Ubuntu visível a todos os usuários

· Concluindo...

O resto o jogo fala por si só. É um jogo de fácil configuração, alta jogabilidade e baixo consumo de recursos gráficos. Com ele você poderá jogar no modo Singleplayer, desbravando os vários cenários que o jogo proporciona. Ou no modo Multiplayer, com uma série de estilos de jogos como Deathmatch, Capture The Flag, Tournentment, etc. Se você não possui internet ou rede local, jogue no modo Multiplayer com os bots. Também é diversão na certa. ;-)





por Átila Camurça

10 de set de 2009

Torrents - Informações Importantes



Se você baixa muitos torrents, já sabe: uma das coisas mais desagradáveis é fazer o download de um filme e, quando ele chega, apresenta qualidade sofrível de imagem e de som. Para que isso não aconteça mais, preste atenção em alguns detalhes que podem fazer muita diferença!

O nome do arquivo, geralmente, vem acompanhado de alguns complementos e siglas. Normalmente, DVDRIP ou DVDSCR significa que o arquivo foi ripado de um DVD, ou seja: estes são os que têm maior probabilidade de apresentar uma boa qualidade. Já TS significa Telesync, ou seja: alguém plantou uma câmera na sala de cinema e gravou o vídeo direto da tela. Nestes casos, a qualidade da imagem deixa bastante a desejar, mas o áudio, normalmente, é bom porque é tirado direto do projetor. Agora, se o arquivo apresentar a sigla “CAM”, tenha certeza que é uma roubada. Não só o vídeo mas também o áudio estarão bastante comprometidos. Para ter certeza se o arquivo que você escolheu tem boa qualidade, dê uma olhada nos comentários e nas notas deixadas pelos usuários que já baixaram aquele vídeo. É só clicar aqui e ler tudo o que foi escrito sobre o arquivo.

Existe, ainda, um outro detalhe que pode garantir o bom funcionamento dos seus torrents. Preste atenção nessas duas colunas finais. A que está indicada pela letra “S”, de “Seeders”, traz a quantidade de pessoas que estão disponibilizando o arquivo naquele momento. A coluna com a letra “L”, de “Leechers”, mostra a quantidade de pessoas que estão fazendo o download do arquivo naquele instante. Portanto, quanto maior o número de Seeders e menor o número de Leechers, maior a velocidade do seu download.


SEEDERS - São os que estão disponibilizando o arquivo.
LEECHERS - São aqueles que estão baixando o arquivo.


Referência:http://olhardigital.uol.com.br

Por: Francisco Darlildo

1 de set de 2009

Forçando a Desinstalação de Pacotes deb


Este procedimento requer privilégios administrador.

Vamos liberar o dpkg e o apt-get.

Edite o arquivo "/var/lib/dpkg/status":
# nano /var/lib/dpkg/status

Localize a linha onde está escrito (CTRL+W e digite o nome do pacote):

Package: foo
Status: install ok installed
Priority: optional
.
.
.


Logo abaixo, altere o status do pacote foo para purge ok not-installed salve e feche e tente utilizar o apt-get para instalar o pacote normalmente ou desinstalá-lo.

18 de ago de 2009

Apache Tomcat - Adicionando um usuário

· 1° passo: tomcat-users.xml

Para adicionar um usuário no Apache Tomcat basta editar o arquivo tomcat-users.xml. Este arquivo pode ser encontrado em $CATALINA_HOME/conf.
Mas antes de qualquer coisa você deve estar se perguntando: Que diabos é $CATALINA_HOME?!?!?

Deixa que eu explico.
$CATALINA_HOME é o alias para o diretório raiz do Apache Tomcat. Bem, mas isso eu não inventei; o próprio Apache foi quem convencionou assim. É uma variável de ambiente do sistema que você pode usar para assim poder instalar o Apache Tomcat onde você achar melhor.
Vamos a um exemplo prático, vá em um terminal e tente o seguinte:

$ echo $USER

Você obterá como resposta seu nome de usuário. Agora faça:

$ echo $HOME

Você verá em sua tela seu diretório home.

Bom, acho que ficou entendido. Vamos prosseguir. ;-)

Como eu disse anteriormente para adicionar um usuário no Tomcat basta editar o arquivo tomcat-users.xml que está em $CATALINA_HOME/conf (acho que agora você sabe onde fica hã? :-). Espero que você esteja usando um editor de texto no próprio terminal como nano ou vi ou vim. Digo isso porque é assim que você configuraria um servidor. Seguindo minha dica entre no diretório raiz do Tomcat e:

$ cd conf/

Liste todos os arquivos deste diretório:

$ ls -la

Você verá o seguinte:

total 104
drwxr-xr-x 3 mad3linux mad3linux 4096 2009-07-31 14:15 .
drwxr-xr-x 9 mad3linux mad3linux 4096 2009-07-31 14:12 ..
drwxr-xr-x 3 mad3linux mad3linux 4096 2009-07-31 14:15 Catalina
-rwxr-xr-x 1 mad3linux mad3linux 8690 2009-05-13 20:15 catalina.policy
-rwxr-xr-x 1 mad3linux mad3linux 3665 2009-05-13 20:15 catalina.properties
-rwxr-xr-x 1 mad3linux mad3linux 1396 2009-05-13 20:15 context.xml
-rwxr-xr-x 1 mad3linux mad3linux 3257 2009-05-13 20:15 logging.properties
-rwxr-xr-x 1 mad3linux mad3linux 6539 2009-07-31 14:15 server.xml
-rwxr-xr-x 1 mad3linux mad3linux 1205 2009-07-31 14:27 tomcat-users.xml
-rwxr-xr-x 1 mad3linux mad3linux 50757 2009-05-13 20:15 web.xml

Neste diretório estão contidos todos os arquivos de configuração do Apache Tomcat. Podemos ver o nosso arquivo na penúltima linha. Basta editá-lo com:

$ nano tomcat-users.xml

Com o arquivo aberto é possível ver dicas que o Tomcat dá sobre como adicionar usuários. Mas não confunda, as linhas onde estão supostamente adicionando usuários estão comentadas (verifique a presença do , como no html essas tags representam comentários), logo abaixo delas faça:

Para adicionar uma role (algo como função ou grupo):

<role rolename="administrador"></role>

Para adicionar um usuário no grupo:

<user username="mad3linux" password="s3cr3t" roles="administrador"></user>


MAD Dica: observe onde você está escrevendo essas novas linhas. Elas devem estar entre as tags
<tomcat-users> e </tomcat-users>.


· 2° passo: Testando se tudo deu certo.

Para ver se o usuário foi adcionado com sucesso faça o seguinte:

Inicie o servidor Apache Tomcat. Apenas abra um terminal e entre em $CATALINA_HOME/bin, por exemplo, vamos supor que você tenha instalado o Tomcat em /opt:

# cd /opt/apache-tomcat-x.x.x/bin/

e então:

# ./startup.sh

MAD Dica: para poder executar o arquivo startup.sh é necessário que ele tenha permissão de execução. Para saber isso basta digitar no terminal:

# ls -l startup.sh

A saída deve ser mais ou menos assim:

-rwxr-xr-x 1 mad3linux mad3linux 1956 2009-05-13 20:15 startup.sh

Note que para o dono do arquivo, ou seja as três primeiras depois do - (hífen), uma delas é o x. Isso indica que o arquivo possue permissão de execução.
Mas caso a saída do comando ls -l seja dessa forma:

-rw-r--r-- 1 mad3linux mad3linux 1956 2009-05-13 20:15 startup.sh

Então basta dar permissão ao arquivo. Faça:

# chmod +x startup.sh

Pronto, execute o comando ls -l de novo para ver as modificações.
Bem, mas antes que eu esqueça, faça o mesmo para o arquivo shutdown.sh, que se encontra no mesmo diretório que o startup.sh ($CATALINA_HOME/bin/). Ele serve para desligar o servidor Apache Tomcat.

Iniciado o servidor, a seguinte saída pode ser observada:

Using CATALINA_BASE: /opt/apache-tomcat-6.0.20
Using CATALINA_HOME: /opt/apache-tomcat-6.0.20
Using CATALINA_TMPDIR: /opt/apache-tomcat-6.0.20/temp
Using JRE_HOME: /usr

Observe que ele detectou o caminho para o jre, justamente com a variável de ambiente JRE_HOME, interessante não?

Se algo como citado acima apareceu em seu terminal, vá em seu browser favorito (o meu é o Mozilla Firefox ;-) e digite na barra de endereço:

http://localhost:8080/

Aparecerá a tela principal de configurações do Apache Tomcat.





No menu Administration clique em Tomcat Manager.






Ele pedirá um usuário e senha. Digite de acordo com o que você configurou e clique em Ok.
Em caso positivo a seguinte tela será mostrada:



Em uma próxima postagem eu explicarei com utilizar essa parte de gerência do Tomcat.

5 de ago de 2009

Avidemux Parte II

· "...And Videos For All"


Ai vou eu de novo falar sobre Avidemux. Ao começar a usá-lo logo percebi que apenas uma postagem não seria suficiente. Um software com tantos recursos merece um bis. "So c'mon!".




· Gravando apenas o áudio

Fatalmente você já se deparou com um vídeo e pensou: "Poxa vida, sempre quis ter essa música em MP3. :(". Bom, se esse era o problema ai vai a dica.
Primeiro escolha o vídeo em File → Open. Depois basta escolher o codec de áudio o qual será gravado no menu vertical.





MAD Dica: Antes de qualquer coisa, vamos a um ponto super importante: a qualidade de seu arquivo de áudio. Ao clicar em seu codec preferido, por exemplo MP3, é possível aumentar ou baixar a qualidade de seu arquivo MP3. No menu vertical onde você escolheu o codec de áudio é possível configurá-lo. Basta clicar em Configure na parte que está relacionada a Audio ou em menu Audio → Encoder, ou simplesmente [Ctrl + Alt + A]. Com este último comando aparecerá uma tela com os codec's disponíveis, então basta selecionar um e clicar em Configure codec. De todos os itens que apareceram, o que mais nos interessa é o Birate. Ele é o responsável pelo número de kilobits por segundo, o que caracteriza uma música com pouca perda da qualidade original ou muita perda de qualidade. Por padrão o Avidemux vem com o Bitrate 128 kbps, o que um nível de qualidade considerado muito bom. Mas isso pode melhorar, até 224 kbps (ou piorar com 56 kbps. Não recomendo menos de 96 kbps). Fica a seu critério.







Muito papo, muito papo... Trate de clicar em Audio → Save ou [Ctrl + Alt + S]. Nomeie sua música com a extensão adequada e pronto :).


· Como antigamente...

Se você é daquelas pessoas boêmias, que curte o passado e adora filmes em preto e branco, um bom recurso é o Luma Only do Avidemux. Para começar, como sempre, é preciso selecionar um vídeo em File → Open ou [Ctrl + O]. Agora selecione o codec de vídeo, por exemplo MPEG-4 ASP (Xvid4). Depois clique em Filters no menu vertical, ou menu Video → Filters, ou
[Ctrl + Alt + F].





Selecione a aba Colors do menu Avaliable Filters e procure por Luma Only. Para adicionar basta clicar no botão de mais(+) na parte inferior do menu, pronto. Clique em Preview para visualizar como ficará seu vídeo. Não esqueça de selecionar o codec de áudio. Agora basta clicar em File → Save ou [Ctrl + S].
 
· Automatizando conversões

No menu principal do Avidemux existe um item chamado Auto. Essa função serve para autoselecionar os codec's de áudio e vídeo e o formato de saída. É possível encontrar as seguintes opções:

  • VCD
  • SVCD
  • DVD - Extensão .mpg
  • PSP - Extensão .mp4
  • PSP (H.264)
  • FLV - Extensão .flv
  • IPOD (mpeg4)
Após escolher clique em File → Save ou [Ctrl + S] e nomeie o arquivo com a extensão adequada.


· Economize o cafezinho ...

- Mais que história é essa?

Deixa que eu explico. Com Avidemux é possível criar uma Joblist (tradução simultânea: Lista de Afazeres :-). Com a Joblist você pode criar uma lista de arquivos a serem convertidos e descansar, em vez de ter que esperar que cada arquivo seja convertido e adicionar outro após alguns minutos ou até horas. Assim você poderá dormir um pouco em vez de ficar olhando para a tela do computador tomando um cafezinho enquanto espera o vídeo ser convertido.
Você não pensou que o Avidemux fazia café, pensou?!? ¬¬'





Para começar abra o arquivo a ser convertido, File → Open ou [Ctrl + O]. Siga os passos para converter um vídeo normalmente, escolhendo os codec's de áudio e vídeo. A diferença é que não precisa clicar em Save. Em vez disso vá em menu File → Add to Joblist... para adicionar o arquivo á Joblist. Agora basta preencher os campos Job name, ou seja o nome do trabalho a ser realizado (serve só para saber qual Job está sendo realizado, nada de mais ;-) e o Output file, esse sim é importante pois é o nome arquivo que será gerado. Clique em Browser... e escolha o diretório de destino e nomeie o arquivo com a extensão adequada. Clique em Ok.
Feito isso já é possível visualizar o arquivo na Joblist através do menu File → Show Joblist ou [Ctrl + J].





É possível observar logo abaixo do Job name que o arquivo está pronto ou Ready. Isso indica qual estado se encontra o vídeo. Ele pode estar:
  • Ready (Pronto): já pode ser convertido.
  • Running (Rodando): está em processo de conversão.
  • Sucessed (Completado): o vídeo foi convertido com sucesso.
  • Deleted (Deletado): o Job foi deletado da Joblist.






Após adicionar todos os vídeos desejados, é hora de trabalhar, ou melhor dizendo, hora do Avidemux trabalhar. Apenas clique em Run all jobs do menu da Joblist e pronto.
Também é possível rodar apenas o vídeo selecionado com Run Job, ou ainda deletar qualquer um dos Job's com Delete Job, ou deletar toda a lista com Delete All Jobs.

9 de jun de 2009

Google


O nome Google foi escolhido devido a expressão "googol", que representa o número 1 seguido de 100 zeros, para demonstrar assim a imensidão da Web.

A expressão "googol' surgiu de um fato bem curioso. Edward Kasner (matemático) questionou o seu sobrinho de 8 anos sobre a forma como ele descreveria um número grande - um número realmente grande: o maior número que ele imaginasse. O pequeno Milton Sirotta emitiu um som de resposta que Kasner traduziu por "googol".

O nome Google surgiu a partir de um erro, engraçado né... A história foi mais ou menos assim, quando o primeiro investidor da empresa passou um cheque no valor de 100 mil dólares perguntou a que ordem o devia passar, Brin e Page disseram que estavam a pensar dar o nome de "Googol" à empresa, mas o empresário, escreveu "Google", obrigando, assim, que a empresa tivesse este nome. Ninguém sabe por qual motivo ele colocou "Google" no cheque, possivelmente por ignorância. Segundo o documentário do Biography Channel sobre os criadores do Google.

Sergey Mihailovich "Brin" é cofundador e atual presidente de Tecnologia do Google o site de busca mais popular da internet.


Lawrence Edward Larry "Page" é cofundador e atual presidente de produtos do Google.



  • Você sabia que...

O Google é considerado melhor buscador na internet. Ele possui um banco de dados com mais de 3 bilhões de páginas e mesmo assim consegue apresenta-las em menos de meio segundo ficando apenas por conta da velocidade da sua conexão com a internet e a velocidade de seu computador.

O Google não apresenta um site que fala daquele assunto, mas sim, a página com os termos digitados. É claro que numa busca, um site importante pode aparecer, mas não mostrar exatamente aquilo que você gostaria de ver, portanto ao procurar alguma informação tente dar uma descrição detalhada, ponha palavras-chave para que o Google possa retornar o assunto desejado.

Por: Francisco Darlildo

8 de jun de 2009

Avidemux - Edição e Manipulação de Vídeos

· "For Whom The Video Cuts"


Para aqueles que curtem edição e manipulação de vídeos o software de código aberto ideal é o Avidemux. Ele utiliza o Mencoder para fazer as conversões, para quem já o conhece um bom recurso no modo gráfico. Com ele é possível converter vídeos, editar partes do vídeo, adicionar legendas, entre outros.
É um software de aparência simples mas muito poderoso. Tem uma série de codecs de áudio e vídeo para permitir conversão de vídeo da maneira que você preferir.
Bem, mas vamos ao que interessa. ;-)





· Convertendo Vídeos

O primeiro passo é abrir o arquivo que deseja converter. Vá em File → Open, ou clique no atalho que aparece logo abaixo do menu. Neste exemplo vou converter um arquivo ".MP4" em ".AVI". Ao adicionar o arquivo ele pode ser reproduzido no próprio Avidemux. Mas não vamos nos aprofundar muito neste passo, vamos apenas converter o arquivo sem muitos detalhes.




MAD Dica
: se você está achando que o arquivo a ser reproduzido está pequeno demais para ver, você pode aumentá-lo no menu View → Zoom 1:1 ou [Crtl + Alt + 1]. ;-)

Apenas escolha o codec de vídeo, por exemplo MPEG-4 ASP (Xvid4). E o codec de áudio, por exemplo, MP3 (LAME). Agora o formato de saída, neste exemplo AVI. Estas opções podem ser acessadas no menu vertical.





Agora salve o arquivo no menu File → Save Video ou [Ctrl + S]. Nele você poderá ver várias opções para salvar seu vídeo. São elas:

  • Save Video... : salva todo o vídeo no formato desejado.
  • Save BMP Image... : salva apenas o frame, ou seja, o pedaço do vídeo que aparece na tela em formato BitMap.
  • Save JPEG Image... : faz o mesmo que o anterior, mas salva em formato JPEG.
  • Save Selection as JPEG Images... : salva várias imagens a partir de uma seleção, que seria definir apenas parte do vídeo para gravar.

Mas vamos mesmo na primeira, clique em File → Save Video ou [Crtl + S] e defina um nome para o vídeo colocando ao final a extensão:".avi". Agora basta esperar a conversão do vídeo e pronto.





· Convertendo apenas parte de um vídeo

Após ter aprendido a converter, vamos para edição de vídeo. Com o arquivo aberto vamos definir qual parte do vídeo será convertida. No menu inferior é possível definir esta funcionalidade.





Com os comandos Play, Pause, Stop você visualiza seu vídeo como um reprodutor de mídia comum. Após visualizar a parte de onde deseja gravar clique no botão A do menu. Note que ele trará o cursor da barra de progresso para a posição desejada. Agora selecione o final da parte que será gravada com o botão B do menu. Assim você poderá ver os dois cursores da barra de progresso um na posição A e outro na posição B. O procedimento é o mesmo para gravar, File → Save Video.

· Adicionando legendas ao Vídeo

Com o arquivo de vídeo já aberto, clique no menu principal Video → Filters ou [Ctrl + Alt + F].
Abrirá uma janela com várias opções de ajustes, melhorias e funções. Para adicionar o arquivo com a legenda clique na aba vertical Subtitles da caixa Avaliable Filters (Filtros Disponíveis). A mais comum seria a primeira opção onde as legendas estão em formato ".SRT". Clique em Subtitler e depois no botão Mais logo abaixo.





Busque o arquivo com a legenda clicando em Browser no campo Subtitle File, comumente com a extensão ".SRT". Também é possível escolher a fonte para a legenda, o segundo campo permite isso. Clique em Browser e busque a fonte, normalmente com a extensão ".TTF". Agora é preciso indicar a codificação da legenda. Isto serve para ver, por exemplo, acentuação em legendas em português ou visualização de caracteres especiais. Também é possível definir a cor da legenda com a opção Select Color, sua posição na tela e seu tamanho com a opção Set Size and Position. A última opção Delay (ms) serve para atrasar ou adiantar a legenda. É útil quando a legenda está desincronizada. Ao final clique em OK e pronto.





Após adicionada, a opção selecionada pode ser vista na caixa Active Filters (Filtros Ativos).
É possível pré-visualizar os frames com a legenda clicando em Preview no canto inferior direito. Émuito útil para ver se a legenda ficou como você queria que ficasse. ;-)






Agora basta salvar o arquivo normalmente.

· Aumentar volume do vídeo

Também é possível aumentar o volume do vídeo. No menu principal Audio → Filters, ou no menu vertical é possível aumentar o volume. Na parte do Gain no item Gain Mode escolha a opção Automatic (max - 3 dB), ou seja, ele automatiza a função de ganho com no máximo 3 decibéis. Pode parecer pouco, mas é o suficiente.
No entanto, se o áudio for realmente muito baixo, escolha manualmente com a opção Manual.





· Junção de Vídeos

Com Avidemux você pode mesclar dois vídeos com a opção File → Append... ou [Ctrl + Alt + A]. Assim se você possui dois vídeos, por exemplo parte 1 e parte 2 de um filme, é possível torná-lo um só vídeo. :D

MAD Dica: Atenção! - para que esta funcionalidade execute perfeitamante, é necessário que os dois, ou mais vídeos estejam com os mesmos codec's - tanto áudio e vídeo, número de quadros por segundo, mesmas taxas de amostragem(frequência), mesmas taxa de bits por segundo. Para isso veja antes de convertê-los em File → Properties ou [Alt + Enter], ou nas propriedades que o próprio sistema operacional mostra.





Caso ocorra essa incopatibilidade, basta converter os arquivos individualmente com as mesmas propriedades. ;-)
Após o Append, assista o vídeo na parte onde ocorreu a junção para saber se estão compatíves. Se tudas as propriedades estiverem corretas a junção será imperceptível. Basta salvar: File → Save ou [Ctrl + S].

por Átila Camurça


3 de abr de 2009

DeVeDe - Criador de vídeo DVDs


DeVeDe é um software capaz de criar dvd's a partir de arquivos de vídeo de sua máquina que toca em praticamente qualquer aparelho de DVD. Se você já utiliza alguma distribuição de código livre mas, às vezes precisa reiniciar a máquina e dar o boot pelo Ruindows para criar um DVD no Nero, ufa! Esqueça tudo isso e mude para DeVeDe. :D



· Instalando DeVeDe


Primeiro você deve instalar o DeVeDe em seu desktop. Se você utiliza Debian ou Ubuntu faça:

$ sudo su
# aptitude search devede

Isso fará uma busca do pacote devede. Se nada aparecer, proceda com o comando:

# apt-get update

Esse comando atualizará sua source.list, arquivo que lista todos os softwares disponíveis para sua máquina. Repita o comando aptitude search devede. Se mesmo assim nada aparecer, então vá direto ao site:
http://linux.softpedia.com/progDownload/DeVeDe-Download-8922.html.

Se o pacote for encontrado, aparecerá na tela de seu terminal algo como:

v devede - program to create video DVDs

Pronto, agora basta instalar a aplicação com o seguinte comando:

# apt-get install devede

Após uma busca, o apt-get mostrará os pacotes necessários a instalação. Confirme digitando yEnter. Agora tudo dependerá de sua Internet. Se estiver usando uma conexão discada, seja paciente. :-) Terminada a instalação é hora de iniciar o DeVeDe.

· Iniciando DeVeDe


Vá ao menu Aplicações de seu desktop, depois Som & Video e clique em DeVeDe. Logo que inicia ele mostra as opções de mídias que podem ser criadas.




A primeira cria um DVD de Vídeo clássico, que toca em qualquer DVD Player. A segunda cria um Vídeo CD ou VCD, um CD com vídeo com qualidade equivalente ao VHS. Armazena até 80 minutos em um CD de 700MB. Também reproduz em qualquer DVD Player. A próxima opção é criar um SuperVideoCD, que seria um pouco melhor que o anterior, mas toca em apenas alguns aparelhos de DVD (verifique o manual de seu aparelho para saber se ele é compatível com esse formato). A quarta opção permite criar um CVD com uma qualidade um pouco menor que o anterior mas que reproduz em quase todos os DVD Players. E a última permite a criação de um DivX/MPEG-4, arquivo de vídeo com uma qualidade muito boa.
Bom, mas vamos ficar com a primeira opção. Afinal é um DVD que queremos gravar (Mas fique à vontade para testar as outras opções. ; ). Ao clicar em DVD de Vídeo outra janela aparecerá com as opções para a gravação da mídia.









O primeiro passo será adicionar os a
rquivos de vídeo (.avi, .mp4, .mpg). Na parte mais acima você tem uma área com Títulos e ao lado Arquivos. Em Arquivos clique em Adicionar. Então uma caixa de diálogo pedirá o caminho do vídeo desejado. Navegue em seus arquivos em busca do vídeo desejado e clique em Abrir. Deixe a Taxa de Vídeo e a Taxa de Áudio como estão, o próprio DeVeDe provê uma taxa adequada.






Outras opções podem ser encontradas em Opções Avançadas. Lá você pode, por exemplo, adicionar uma legenda ao vídeo. Ou ainda atrasar ou acelerar o áudio um pouco, caso ele não esteja sincronizado com o vídeo. Não se preocupe com a qualidade, por padrão estão todas as opções com qualidade máxima de áudio e vídeo. ; ) Basta clicar em OK e está pronto, seu arquivo de vídeo foi adicionado. Logo após o OK é possível ver quanto do disco seu arquivo irá ocupar.



Após a adição do arquivo, é preciso dar um título. Esse título é que aparecerá no menu do DVD. Selecione o Título 1 e clique em Propriedades. Então digite o nome do título e escolha entre as ações ao término do título, que podem ser:
  • Parar reprodução/mostrar menu do disco
  • Reproduzir o primeiro título
  • Reproduzir o título anterior
  • Reproduzir este título novamente (loop)
  • Reproduzir o próximo título (Recomendável : )
  • Reproduzir o último título




Escolha um e clique em OK. Note que o que antes era Título 1 agora está com o nome escolhido. Neste caso específico em que apenas um arquivo foi adicionado e ocupou quase todo o disco é recomendável escolher a opção:
Parar reprodução/mostrar menu do disco.





Logo abaixo do Uso do Disco t
emos o campo Ação. Nele é possível escolher entre:
  • Apenas converter para os arquivos MPEG compatíveis: apenas converte seus vídeos.
  • Criar estrutura de disco: cria dois diretórios - audio_ts e video_ts - contendo arquivos usados pelo DVD Player com .BUP, .VOB e .IFO.
  • Criar uma imagem ISO ou BIN/CUE pronta para gravar na mídia: está é a melhor opção, pois após o término do processo basta dar duplo clique na imagem criado e mandar gravar no DVD; Muito mais fácil! :D
O próximo passo tem a ver com o menu do seu DVD. Você pode clicar em Opções de menu e selecionar o plano de fundo do seu menu e a fonte a ser utilizada.





Clique na pasta e escolha o plano de fundo de sua preferêcia. É necessário que a imagem seja em formato .png, então se a figura escolhida estiver em outro formato, exporte-a usando o GIMP ou Inkscape. ; )
Depois escolha a fonte do menu. É possível utilizar quase todos os tipos de fonte, entre elas fontes de outros Sistemas Operacionais ou providas por sites especializados.


Nota: em breve ensinarei como instalar outras fontes. Dica: procure por msttcorefonts : )



Bom, após escolher o plano de fundo e fonte desejados é possível visualizar o menu para ver se ficou bom.




Depois de tudo acertado vamos a gravação. No canto inferior direito há um botão Frente. Após clicar irá aparecer uma caixa de diálogo para informar o caminho onde será criado o arquivo e o nome do arquivo (o nome do arquivo não importa muito, apenas digite um nome para saber de qual DVD é aquela ISO). Clique em OK e pronto.




Após, praticamente uma hora, seu DVD estará pronto. Depois dê clique duplo na ISO criada e mande gravar na mídia.


· Mudar fonte da legenda


Para mudar a fonte da legenda você deve por a nova fonte em ~/.spumux. Ao iniciar o DeVeDe ele automaticamente criará esse diretório em seu home. Lá você encontrará o arquivo devedesans.ttf. Faça um backup do arquivo e copie a nova fonte para ~/.spumux e renomeie para devedesans.ttf.

Exemplo:

$ mv ~/.spumux/devedesans.ttf ~/.spumux/devedesans.tt~
$ cp /usr/share/fonts/truetype/ttf-dejavu/DejaVuSans.ttf ~/.spumux/devedesans.ttf

Agora você usará a fonte DejaVuSans em suas legendas.

The End : )
por Átila Camurça