23 de fev de 2013

10 razões para instalar uma distribuição Linux


Linux é uma plataforma solida, funciona perfeitamente em servidores e muito mais em computadores pessoais, as versões mais recentes com interface gráfica do Gnome 3, tem efeitos 3D muito interessantes e que superam de longe os efeitos visuais do Windows.

Trabalhar com Linux em alguns casos pode até ser um pouco mais complicado porem temos a vantagem de ser gratuito   e que você vai ter que estudar e aprender um pouco mais sobre o seu sistema operacional, sendo assim vamos ver dez motivos para se usar Linux.






  1. O sistema por padrão já vem com uma infinidade de aplicativos para as mais variadas áreas de atuação, Quem instala Linux não precisa se preocupar com aplicativos. Os que vêm com o sistema já atendem às necessidades de um usuário típico e são muito superiores aos programinhas incluídos no Windows. Não dá para comparar, por exemplo, o BrOffice.org, um pacote completo para escritórios, com programas como o WordPad e o Paint do Windows.
  2. Quem usa Linux não se preocupam com vírus e outros programas nocivos. O Linux é muito menos visado pela turma dos spanners, trojans, malwares e crackers que o Windows. Além disso, o sistema de contas de usuários do Linux — imitado pela Microsoft no Windows Vista — provê uma camada extra de segurança ao computador.
  3. No Linux, é você quem decide o que fazer com seus arquivos de áudio e vídeo. Sistemas de controle de direitos autorais não têm espaço no mundo do pingüim, embora o Linus Torvalds esteja dando uma mãozinha ao DRM.
  4. O Linux tem uma comunidade de usuários muito ativa, onde é fácil conseguir informações e ajuda. Há uma infinidade de fóruns e listas de discussão na internet que tratam do pingüim. E, claro, empresas também podem contratar um serviço de suporte profissional se preferirem. Há centenas de empresas que trabalham nessa área no Brasil.
  5. No Linux, o usuário não fica preso às decisões de um único fabricante. Há sempre mais de uma opção para cada componente do sistema. Se você não gostou do visual da interface gráfica, por exemplo, há muitas outras para escolher. Algumas, como Beryl e Compiz, já empregavam transparências e gráficos 3D muito antes do Windows Vista.
  6. Criptografia de arquivos é um dos recursos que a Microsoft oferece apenas nas edições mais caras do Windows Vista. No Linux, você tem isso de graça. Desde a versão 2.6.0 do kernel, faz parte dele a CryptoAPI, interface de programação com funções de criptografia. Essa API é usada por módulos do Linux como o dm-crypt para cifrar o conteúdo dos discos.
  7. Diferentemente do Windows, o Linux já vem com um conjunto básico de compiladores — começando pelo venerado GCC, do projeto GNU — e outras ferramentas de desenvolvimento, montar um servidor WEB (Apache, Mysql, php e phpmyadmin) e extremamente simples e rápido. É uma ótima opção para quem quer aprender ou praticar programação.
  8. Quem quiser se apronfundar em um sistema operacional e conhecer a fundo, mas navegar nas pastas do diretório raiz do Linux estudar seus códigos fontes.
  9. Uma conseqüência da natureza aberta do Linux e da troca de informações nas comunidades do pingüim é que os linuxistas adquirem muito mais conhecimento técnico que os usuários de outras plataformas. Compilar programas e editar arquivos de configuração, por exemplo, são tarefas que raros usuários de Windows ou Mac se atrevem a encarar, mas que a turma do Linux tira de letra.
  10. A economia não se resume ao sistema operacional, já que também os aplicativos são gratuitos. Se considerarmos apenas os preços do Windows Vista Home Premium, o Office 2007 Home & Student e um editor de imagens intermediário como o Paint Shop Pro Photo X2 já teremos uma despesa de cerca 839 reais — mesmo com o sistema  operacional e o pacote de escritório da Microsoft terem seus preços reduzidos em 34% e 50%, respectivamente. Quem usa Linux não paga essa conta.


Além disto já está tramitando na Câmara de Deputados o Projeto de Lei 2269/1999 que trata sobre o uso de softwares livres nos orgãos públicos nas esferas municipais, estaduais e federais. Claro a principal vantagem e que as despesas com softwares caíram, vale lembrar que neste caso vai ser necessário mão de obra especializada para fazer essa mudança, treinar os funcionários e trabalhar no suporte.

Fica a dica, eu uso Linux já a alguns anos, e não troco.

Autor: Antonio Anselmo